fbpx

O impacto do Employee Experience Design na gestão de pessoas

O Employee Experience Design (EXD) atua nas empresas moldando as experiências dos colaboradores. Entenda a real importância da experiência do colaborador
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

FIQUE POR DENTRO DAS NOSSAS NOVIDADES

.

A maioria dos momentos importantes de nossas vidas mostra uma resposta emocional que tem um efeito duradouro nas opiniões dos colaboradores sobre a organização. Estamos nos referindo aqui sobre os momentos que impactam positivamente a experiência dos colaboradores. Por que essas experiências são tão importantes para as empresas? Para responder esta questão iremos refletir, neste artigo, sobre a gestão de pessoas na empresa e o que é e qual o impacto do Employee Experience Design (EXD). Não deixe de conferir!

A gestão de pessoas nas empresas

A gestão de pessoas é uma área bastante importante dentro da empresa, geralmente chamada de Recursos Humanos, o famoso RH. Em resumo, se trata de um conjunto de técnicas que visa o desenvolvimento das pessoas nas organizações.

Mesmo com uma área focada nos colaboradores,algumas pesquisas apontam que as empresas não estão sabendo fazer uma gestão eficiente de pessoas.  Há uma importante pesquisa da Gartner  que revelou que apenas 13% dos funcionários estão totalmente satisfeitos com suas experiências.

Por isso, é necessário realizar uma análise sobre o que as empresas estão realmente fazendo com a gestão de pessoas.

Há, ainda, outra pesquisa, realizada também pela empresa Gartner, que chama a atenção para nosso tema. Desta vez, a pergunta realizada para os colaboradores era: “Qual foi a experiência mais marcante em seu ambiente de trabalho?”

Entre as respostas, encontramos:

  • 36% respondeu que foi ser discriminado no trabalho;
  • 26% respondeu que foi a licença maternidade ou paternidade;
  • 20% citou a realocação da organização a pelo menos 80 quilômetros de distância;
  • 18% respondeu que foi o gerenciamento de uma pessoa de baixo desempenho;
  • 18% citou a mudança de um benefício já conquistado;
  • 18% respondeu que foi contratar uma pessoa para sua equipe;
  • 17% respondeu que foi machucar-se no ambiente de trabalho;
  • 17% respondeu estar envolvido em um conflito no trabalho.

Triste, não é? Porque quando olhamos para essas respostas percebemos que as experiências mais marcantes dos colaboradores são lembradas porque, infelizmente, em sua maioria foram experiências negativas.

Esta é mais uma razão do crescimento e da importância do Employee Experience, sendo uma estratégia corporativa muito importante para tornar a experiência do colaborador relevante, participativa e decisiva, o que irá promover ainda mais o engajamento das equipes.

E você já sabe o quanto o engajamento é um fator importante, não é mesmo? O engajamento é fundamental para aumentar a satisfação e o aumento espontâneo da produtividade.

Aumentar a produtividade de sua equipe é o que muitos líderes estão buscando, atualmente. Entretanto, aumentar a produtividade artificialmente, apenas pela pressão, direcionamento ou vontade do líder imediato não funciona por muito tempo, não traz bons resultados.

O Employee Experience desenvolve a produtividade porque possibilita que o funcionário esteja mais engajado devido ao sentimento de pertencimento porque enxerga o propósito em sua função. Propósito, justamente o que os colaboradores atuais estão em busca, não é?

O impacto do Employee Experience Design (EXD)

O Employee Experience é o conjunto de experiências e emoções que os colaboradores acumulam, ao longo do tempo, durante toda a sua jornada e em todos os momentos da empresa. Por exemplo, o recrutamento, a seleção, o onboarding, o treinamento, a avaliação de desempenhos, as metas, os feedbacks e o encerramento.

Desta forma, as estratégias organizacionais precisam estar mais aderentes aos interesses dos colaboradores. Este é o grande objetivo organizacional e poucas empresas conseguem isso, mas aquelas que estão colocando o Employee Experience Design (EXD) em prática já estão mais avançadas que as demais. Afinal, isso se trata de técnicas de liderança de alta performance.

Mas, de que forma podemos fazer isso?

Qual é o melhor ajuste de objetivos: empresas e colaboradores?

Observe a imagem abaixo, nela temos 3 círculos:

O Employee Experience Design engloba diversas variáveis
  • O 1º círculo representa as expectativas e necessidades do colaborador;
  • O 2º círculo representa as estratégias da empresa para atender às expectativas;
  • O 3º círculo representa o ambiente e a cultura organizacional.

Assim, concluímos que o Employee Experience Design é a área comum entre todos. Afinal, os valores da organização, o DNA, ou seja, o jeito de ser dessa empresa deve fazer parte deste ecossistema de EX.

Sem isso, focando apenas nas experiências e necessidades dos colaboradores podemos falhar em nosso objetivo. Por isso, é importante focar na cultura organizacional e refletir sobre a direção em que esta cultura está indo.

Afinal, o que é o Employee Experience Design?

O Employee Experience Design (EXD) não é uma filosofia e tão pouco é uma iniciativa isolada, é uma metodologia multidisciplinar praticada pela área de gestão de pessoas e pelos líderes de organizações de qualquer área. Seja de vendas, de marketing, de logísticas, de finanças ou áreas jurídicas, enfim, para líderes no geral.

O objetivo do EXD é tornar a experiência dos colaboradores e parceiros de negócio emocionalmente favoráveis de acordo com sua jornada. Mesmo que para isso, a empresa precise alterar definitivamente o jeito de ser da organização.

Para entender melhor, imagine comigo, caro leitor: dois graus, um que se refere às emoções negativas e outro que se refere às emoções positivas.

Enquanto os colaboradores experimentam algumas emoções, por exemplo, um feedback desrespeitoso, o grau que pertence à emoção negativa aumenta. Desta forma, as emoções negativas vão acontecendo sem a empresa perceber e o crescimento deste grau pode se tornar incontrolável.

O aumento das emoções negativas pode causar sérios problemas, tais como:

  • Demissão potencial;
  • Desconexão do colaborador com sua função na empresa;
  • Perda de prazer na realização de sua função;
  • Desgaste emocional.

Por isso é importante se atentar para não gerar emoções negativas frequentemente. Da mesma forma, devemos focar em gerar emoções positivas, como, por exemplo, elogios e reconhecimento do colaborador.

Desta forma, na medida que as emoções positivas existem, precisa-se modelar as experiências, evitando as emoções negativas e crescendo as emoções positivas. Com o grau de ambas mais equilibrado a empresa irá se desenvolver melhor.

Nesse sentido, há outra pesquisa interessante sobre o tema do Gallup State of America Workplace, em que a questão era sobre o que os colaboradores esperavam da própria empresa e o que fariam com que eles trocassem de empresa. Como respostas, apareceram:

  • Capacidade de fazer o que fazem melhor em outro lugar;
  • Maior equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional;
  • Maior segurança entre a vida pessoal e profissional.
  • Maior segurança e estabilidade no emprego;
  • Aumento de renda;
  • Oportunidade de trabalhar em uma empresa que tenha uma grande marca ou reputação.

Esses são cinco atributos que movem as pessoas. Você está trabalhando para que sua empresa ofereça o que os colaboradores procuram?

Caso não esteja, pode contar com a gente para implementar ou saber mais sobre o Employee Experience Design. A ConQuist Consultoria tem 19 anos de existência e mais de 470 empresas atendidas com excelência. Atuamos junto aos negócios e às pessoas, com cursos e formações estratégicas, assim como com consultorias e treinamentos de alto impacto. Fale com a gente que vamos te ajudar no seu objetivo!

Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp